domingo, 22 de maio de 2016

Dá-me um abraço!

Quando quiseres demonstrar realmente o que sentes por alguém a quem queres bem, tens afeto ou queres passar uma mensagem de boa energia... dá-lhe um abraço!

Quando conheces alguém que queres integrar, dá-lhe um abraço!

Quando queres que alguém entre na tua vida, dá-lhe um abraço!

Quando não tens palavras que possam transmitir àquela pessoa, a mensagem sobre o que sentes no teu coração, dá-lhe um abraço!

O abraço, que é tão rejeitado no nosso dia a dia, fora do contexto mais íntimo (e por vezes até dentro deste), nas nossas relações diárias ou sociais. O abraço um gesto inigualável, um dos comportamentos mais naturais à nossa existência: à antropológica e o da essência do nosso ser.

Aquele movimento tão simples, de abrir os braços e envolver outro. Uma energia que está tão bem desenhada em nós. O que muitas vezes não sabemos usar.
Ou sabemos, mas afastamos esta vontade a favor dos ares das regras, dos sopros do bem parecer, da ventania da intimidade social.

Para mim um abraço é das coisas mais genuínas.
Para mim um abraço dá-se quando queremos, sem temores, sem perspectivas de classificações.
Para mim um abraço dá-se quando encontramos, quando rimos, quando apoiamos, quando nos sentimos em casa.
Para mim um abraço não tem género, não tem relação, não tem de ter uma intenção, apenas vir do coração.

Um abraço é apenas um abraço.

Porque nada é mais transparente como a forma como abraças... Abraça muito!



Com amor,
Judite <3


Sem comentários:

Enviar um comentário