quarta-feira, 16 de março de 2016

Nada é impossível!

Hoje assisti ao vivo a uma entrevista que me revelou uma força da natureza!

A mim, que não era para estar ali, naquele momento. E o ter estado, trouxe um sentimento de missão.

Quando vamos a um congresso, onde existem múltiplas atividades e intervenções a decorrer, temos de escolher onde estar em cada momento. 
Inicialmente não tinha escolhido assistir a esta intervenção. 
Pela dinâmica do dia, aconteceu. E ainda bem que as coisas mudam!

Quando vi o nome Lenine Cunha no programa, não me chamou qualquer atenção. 
Somos constantemente condicionados nas informações e noticias que chegam até nós. Até aqui sem novidades. 

Para mim novidade foi assistir a este vídeo, e logo a seguir ver e ouvir a entrevista que se seguiu no palco sob os meus olhos.



O Lenine, que por força da vida e da meningite que o atacou enquanto criança, sofreu um dano na sua capacidade mental, que o levou ao mundo do atletismo. 
E daí a todas as vitórias e conquistas conseguidas seguiu-se muita dedicação a este deporto que o recuperou e acompanhou pela vida fora.

Um verdadeiro caso de força interior e auto motivação. Um superar todas as dificuldades. Todas. Desde a recuperação da sua autonomia, ao longo da vida.

Hoje com 33 anos, Lenine que já ganhou 182 medalhas internacionalmente, a representar Portugal. é o atleta mais medalhado do mundo. Já quebrou uns quantos recordes.
Este atleta paralímpico que tem um subsídio de menos de 400 euros para sobreviver. E que quando carrega uma mala cheia de medalhas no regresso a casa, não tem nenhuma entidade para o receber.

Numa história emocionante, onde na viagem pela sua vida pôs uma plateia de quase 600 pessoas a rir. E depois a chorar de comoção pela entrega a que se dá. Pela memória da mãe a quem dedica a força pelas vitórias. A quem dedica as 5 medalhas que ganhou só último fim-de-semana em Itália.
Lenine apenas pede ajuda. Ajuda para continuar a representar o seu país. Ajuda para ir até aos campeonatos para ganhar medalhas. Ajuda para levantar mais alto a bandeira que representa.

Ah... e um gosto na sua página do facebook. Foi o último pedido antes de sair do palco.

O seu manager, Daniel Oliveira, vai um pouco mais longe na sua intervenção. É o seu papel: garantir que aquilo que o Lenine pede se materialize. 
Pede a intervenção de todos no auditório. Que levem a mensagem às empresas: que em cariz de marketing, responsabilidade social ou até num simples trabalho que complemente os pequenos subsídios. Mas que ajudem os atletas que tão bem representam Portugal e levam o nome além fronteiras.

O apelo, onde frisou que estas pessoas não pedem um mero emprego, pedem trabalho. Algo que lhes é negado pela condicionante de que de quando a quando estes colaboradores precisam de se ausentar para cumprir a sua missão atlética. Com a garantia de que em todos os outros momentos darão o seu melhor.

E eu acredito que sim!

Depois de ter ouvido o Lenine, que terminou a entrevista emocionado, colocando lágrimas nos presentes e sendo aplaudido em 3 vezes por uma plateia de pé.
Cada um dos presentes de uma forma ou de outra se encontrou nesta história.

Consciente ou inconscientemente todos temos algo que nos liga a ela.

Porque os recursos só tem de ser encontrados dentro de nós.
Temos que nos ouvir com confiança.

Porque algo só é impossível, até alguém desafiar e provar o contrário!

E porque trouxe comigo este sentimento de missão... peço: partilhem o pedido de apoio do Lenine, nem que seja o tal like na página do facebook!


Com amor,
Judite <3



Sem comentários:

Enviar um comentário