quarta-feira, 23 de março de 2016

Liberdade(s)

Quando pensamos na palavra liberdade pensamos em espaço, em dizer, em permitir.

Pensamos e visualizamos muitos conceitos que nos remetem para a imensidão, para o muito, para o longe, para a aceitação.

Mas quão importante é esta liberdade física ou psíquica.
O quão importante será, quando comparamos com uma liberdade mais singela da, ser a nossa essência, ser grande entre a multidão, não dizer se nos apetecer calar, não fazer se nos apetecer manter, não ir se nos apetecer permanecer.

Quanto significa ser livre? O que é literalmente a liberdade?

Quantas questões podemos colocar. A nós próprios. Ao mundo. Quantas serão as respostas?

Quando uma palavra é tão usada, mas tão pouco conhecida ou honrada, é preciso pensar sobre ela.
Se na sua importância se torna vulgar.
Porque se luta por ela? Porque se deixa de lutar?

Se eu penso em liberdade, penso no ser, no eu, no nós, no todos. Mas penso na essência das coisas. Na criação. Na ligação entre os seres.

Penso em respeito. Em limites. Em compreensão e aceitação.
Penso em partilha. Em dar e saber receber.
Penso em conhecimento. Do bem. Dos Homens.
Penso em amor. do coração. No inocente e sincero.
Penso em propósito. Na missão e sentido da vida. Da minha, da tua, da humanidade.

Quando penso em liberdade, agradeço conhecê-la.
E espero saber honrá-la.



Com amor,
Judite <3



Sem comentários:

Enviar um comentário